Com a realização do DASH Games, associação gaúcha quer influenciar jovens para ingressar no mercado

Com a realização do DASH Games, associação gaúcha quer influenciar jovens para ingressar no mercado Foto: Divulgação/DASH Games

"O DASH desse ano está acima das expectativas, a gente esperava algum nível de deorganização e as coisas estão rolando mais fáceis do que eu pensava", confidenciou, bem humorado.

O Drops de Jogos está cobrindo ao vivo o DASH Games, evento de jogos digitais promovido pela ADJogos-RS, na Univates, em Lajeado, Rio Grande do Sul. Entre as exibições de games criados pelas empresas e indies integrantes da associação, batemos um papo com Caco Idiart, presidente desde sua fundação, há quatro anos.

Na rápida conversa, Caco avaliou o primeiro dia do evento e comentou o panorama do desenvolvimento de games no cenário gaúcho. Confira os principais trechos da entevista.

"É um evento de negócios, a gente se foca muito na parte profissional, e estamos recebendo bastante feedback da gurizada e vendo o que eles estão achando dos jogos, tá bem legal", afirmou em clima de descontração.

"Há um bom tempo já vínhamos pensando em trabalhar um DASH no interior, pois acreditamos que as coisas no interior contam com uma maior adesão", comentou o organizador.,

Em relação à diversidade de projetos presentes na mostra, que incluem games de terror psicológico como Ni Ju Ni e criações lúdicas para o público infantil, como o projeto transmídia de livro, animação e CD, do artista Maurício (que em breve recebe também um game temático), Caco credita a produção ao compromisso da associação com a qualificação dos profissionais envolvidos.

"A gente tem feito um trabalho há mais ou menos um ano na ADJogos, trabalhando com os nossos desenvolvedores toda essa parte de oportunidades, de nicho de negócios, e estamos conseguindo quebrar aquela lógica da galera que entra no mercado dos jogos querendo fazer o 'game dos sonhos'", explicou.

"O pessoal já começa a pensar a produção como um negócio e hoje a gente vê [os criadores] escolhendo 'vou escolher tal nicho', vou fazer infantil', 'vou fazer VR', já pensando [sua produção] com um viés de negócios, que é muito importante".

Caco afirmou que, cada 15 dias, a associação traz pessoas para discutir temas importantes para o desenvolvimento de jogos, fazendo post-mortem dos jogos com os criadores e outras ações do gênero. "A gente tá trazendo umas palestras que tem ajudado a galera a se ligar para o mercado".

Com apenas quatro anos, a ADJogos mantem-se voltada no sentido de melhorar a produção das empresas. "Temos direcionado nossos esforços para qualificar a performance das empresas, focados em modelo de negócios, e isso começa a se refletir. Tanto que, no BIG desse ano, a gente conquistou o prêmio de melhor jogo brasileiro, o BIG Starter, que mostra o resultados desse trabalho", sentenciou.

"A associação está trabalhando em vários níveis de empresas, de modo que a gente vê jogos [na exposição do DASH] que ainda estão em protótipo, jogos que estão mais acabados. Assim, conseguimos reconhecer e extratificar 'ah, essa turma está produzindo uma coisa mais singela, estes caras estão mais preparados, aqueles já estão despontando..."

A novidade dessa edição foi a realização da atividade em lajeado. Caco, no entanto, estima que a alternativa é mais que bem vinda para o evento. "Há um bom tempo já vínhamos pensando em trabalhar um DASH no interior, pois acreditamos que as coisas no interior contam com uma maior adesão. Não faz muita diferença em termos de logística fazer a atividade em Porto Alegre ou a uma hora de distância da capital... Aí, apareceu essa oportunidade com a Univartes, que está trabalhando um conteúdo de inovação, e na conversa, a gente percebeu a oportunidade de fazer o evento do lado da feira de ciências, o que foi ótimo porque uma das nossas preocupações com o mercado é conquistar essa galera para trabalhar na nossa área; a gente precisa de massa crítica para entrar no mercado e construir equipes melhores".

"Nesse sentido", identificou, "a gente está tentando influenciar positivamente essa garotada para o mercado de games.

O evento segue até o sábado, dia 8 de outubro. O organizador estima que até o final, o DASH Games deve contar com uma visitação expressiva de mais de cinco mil visitantes.

Drops de Jogos viajou até Lajeado a convite da ADJogosRS.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

Última modificação emDomingo, 09 Outubro 2016 05:39
Kao Tokio

Kao Tokio é produtor cultural, pesquisador sobre Cultura de Games e repórter especial do Drops de Jogos.

Website.: www.playnbiz.com

Assine nossa Newsletter

Nome:
Email:

Log in

Cadastre-se