10 games que valem a pena ser jogados no novo Atari Flashback da Tectoy

10 games que valem a pena ser jogados no novo Atari Flashback da Tectoy Imagem: reprodução

Há muitos games que mostram variações ruins sobre o mesmo tema.

A Tectoy fez grande estardalhaço no mês de março com o lançamento do mini console Atari Flashback, sistema que traz embutido na memória 101 games do console 2600.

Entre os jogos oferecidos ao público, não faltam games que mostram variações - ruins - sobre o mesmo tema, mas há pérolas que valem conhecer, especialmente para os jogadores mais novos, que talvez jamais tenham tido contato com o aparelho original e seus jogos.

O Drops de Jogos separou dez games da coleção do Flashback que merecem atenção dos jogadores. Confira.

Space Invaders
Space Invaders foi o "killer app", isto é o aplicativo matador, responsável por transformar o console 2600 em um sucesso de vendas, embora o hardware do Colecovision fosse potente.
O clássico shooter, ainda que apresente qualidade visual bastante inferior à versão arcade do jogo, mantém parte da diversão original e fez a alergia dos jovens dos anos 1980.

Asteroids
Com visual que deixa de lado os vetores originais do arcade de 1979, a versão para o console trouxe imagens coloridas, mantendo o gameplay do jogo desenvolvido por Lyle Rains, Ed Logg e Dominic Walsh.
Para os saudosistas das imagens com pixels gigantes, o game deve trazer boas recordações.

Breakout / Super Breakout
As duas versões do jogo são exemplos da criatividade com que os desenvolvedores de games sem empenharam para tirar leite de pedra com o hardware espartano do console.
Steve Jobs e Steve Wozniak recriaram o clássico Pong com mais dinamismo e desafio.
O game sedimentou a base para criações ainda hoje populares, como Bejeweled e Candy Crush.

Pong Sports 
Coletânea de games que incluem os clássicos Pong e Super Pong, Soccer, Table Soccer, Hockey, Quadrapong, Volleyball, Basquetball e Handball.
Não se esperem games de excelente qualidade, mas projetos que indicaram as possibilidades futuras para o design de games. E ainda hoje podem empolgar os jogadores.

Tempest
A versão para o console 2600 jamais chegou ao mercado durante o período de existência do aparelho, embora a Atari já tivesse protótipos funcionando à ocasião.
Com o ressurgimento do material do jogo, o desenvolvedor original do projeto, Keithen Hayenga, finalizou a criação, oferecendo o port para os ávidos jogadores.

Yar's Revenge / Yar's Return
Obra seminal de Howard Scott Warshaw, Yar's Revenge foi um clássico instantâneo, que bebia no design do arcade-mãe Star Castle, da Cinematronics.
Em virtude das limitações do 2600, Warshaw recriou o projeto do zero, com grandes sacadas para manter o desafio e a dificuldade da máquina original.
Em 2005, a sequência Yar's Return foi lançada com o miniconsole Flashback 2. 

Jungle Hunt
Produzido pela Taito, em 1982, o side scroller Jungle Hunt apresentava a grande novidade de exibir imagens panorâmicas em paralexe, isto é, tempo de visualização diferente para as camadas de apresentação do cenário.
A Taito teria algumas dores de cabeça judiciais por conta das semelhanças do projeto com a obra Tarzan de  Edgar Rice Burroughs, antes de mudar o personagem central para exótico explorador.

Centipede
Shooter de 1982 da Atari, Centipede também inaugurou gênero de gameplay, que chegou com sucesso até os dias da Cobrinha, para os primeiros celulares do final dos anos 1990.
Criado pela drupla Ed Logg e Dona Bailey, o game mora com carinho no coração dos retroplayers, que gastaram horas competindo nas muitas fases do jogo.

Combat
Um dos primeiros games criados para o 2600, Combat é um port de Tank, projeto criado pela Kee Games, subsidiária da Atari, em formato de arcade operado por moedas.
O sucesso do arcade para dois jogadores se repetiu no console, exigindo estratégia e raciocínio rápido para destruir o tanque inimigo e proteger-se dos projéteis atirados.
A lentidão com que os veículos se moviam tornava o gameplay extremamente desafiador para os jogadores e o game certamente diverte ainda hoje.

Night Driver
Port do arcade de 1976, desenvolvido pelo engenheiro Ted Michon, Night Driver conseguia unir simplicidade de apresentação visual com grande poder imersivo, que fazia o jogador sentir-se no cockpit de um veículo esportivo.
A versão para o console acrescentou ao visual espartano do jogo alguns elementos extras de cenário, como àrvores e casas.
O game é diversão garantida para disputar com os amigos retroplayers.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube 
Última modificação emDomingo, 26 Março 2017 07:19
Kao Tokio

Kao Tokio é produtor cultural, pesquisador sobre Cultura de Games e repórter especial do Drops de Jogos.

Website.: www.playnbiz.com

Assine nossa Newsletter

Nome:
Email:

Log in

Cadastre-se