Demo do novo Prey deixa a desejar. Por Paulo Zambarda de Araújo, colaborador do Drops de Jogos

Demo do novo Prey deixa a desejar. Por Paulo Zambarda de Araújo, colaborador do Drops de Jogos Foto: Divulgação

Prey 2 foi um dos destaques da E3 de 2011, a expectativa de caçar recompensas por submundos alienígenas intrigou, e depois de muita enrolação, desapontou ao anuciar seu cancelamento em 2014. Apenas para retornar em 2016 com uma nova premissa e novas promessas.

Prey, desenvolvido pela Arkane Studios, disponibilizou uma demo para consoles nesta ultima quinta feira (27/04). Os donos de Xbox One e PS4 que baixaram os 13GB necessários para jogar a "primeira hora" do jogo finalmente tiveram acesso ao resultado de anos de especulação sobre um ciclo de desenvolvimento tão tumultuado e etéreo quanto os aliens Typhon encontrados a bordo a estação espacial abandonada Talos 1.

Minha primeira impressão ao levantar da cama como a Morgan Yu foi de experimentar controles muito aquém dos melhores títulos publicados pela Bethesda Software,o que é bastante preocupante se levarmos em conta que jogos como Dishonored 2 foram lançados nem um ano atrás. E eles traziam um conforto bem maior para o jogador pegar e arremessar objetos do dia a dia a lá Half-Life 2.

Depois de completar o tutorial e ser introduzido ao inimigo, de novo fui surpreendido ao desanimar com o combate na demo. Os Typhoon são uma forma alienígena capaz de se camuflar como qualquer objeto no mundo do jogo. São canecas, sapatos, bancos e cadeiras esperando você dar meia volta para dar um bote. Enquanto no papel isso parece uma ideia brilhante, na prática eu só transitava de um canto ao outro esperando o efeito sonoro me alertar a presença dos Typhoon para cogelar eles com a Glu Gun e depois esmagá-los com uma chave inglesa repetidas vezes.

Prey tem ótimas ideias, mas sua execução deixa muito a desejar. Suas aspirações a títulos como System Shock 2 e Bioshock apenas aumentam as expectativas para um suspense espacial que até então não me rendeu muito além de alguns poucos sustos e péssima mira. 

Paulo Zambarda de Araújo é desenvolvedor de jogos, formado pela PUC-SP, e é professor de inglês.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube 

Última modificação emQuarta, 03 Maio 2017 02:53
Drops de Jogos

Site de games com pegada cultural, cobrindo a cena brasileira de jogos eletrônicos e o panorama internacional. É editado pelo jornalista Pedro Zambarda. Para envio de releases e contatos comerciais, mande email para dropsdejogos@gmail.com.

Website.: www.dropsdejogos.com.br

Assine nossa Newsletter

Nome:
Email:

Log in

Cadastre-se