For Honor, uma resenha

For Honor, uma resenha Foto: Divulgação

No final de janeiro, publiquei uma resenha sobre o beta de For Honor que criticava mais negativamente o jogo. As reclamações eram sobretudo sobre problemas no servidor e uma certa falta de diversidade dos personagens. Felizmente, eu estava equivocado sobre o game e o que tenho a falar sobre ele, nesta resenha completa, é que temos um jogo muito interessante da Ubisoft para desfrutar 2017.

O modo história é um ótimo tutorial

Não comece For Honor diretamente no modo online se você não jogou antes, porque ele é um título difícil de pegar de primeira. Você provavelmente vai entrar no meio de uma partida, vai tomar porrada e vai morrer rápido. Ainda mais com players cada vez mais desenvolvidos no servidor.

O melhor início para este jogo é o mais óbvio, no modo história. Lá você pode optar por começar uma das três campanhas das três facções principais: Cavaleiros, vikings ou samurais. Recomendo que você as faça na ordem já estabelecida do game para entender o enredo da vilã Apollyon, amazona que provoca a guerra entre os personagens.

Logo de cara você nota o diferencial deste game: Personagens femininas notáveis e uma customização de personagens que permite que você se coloque dentro da aventura.

Uma boa seleção de lutadores

Cavaleiros tem os guerreiros Warden (espadachim de médio alcance), Conqueror (defensivo), Lawbringer (tanque, com machado e exclusivamente masculino) e Peacekeeper (de combate próximo, com duas espadas e exclusivamente feminino). O grupo dos vikings tem Raider (média distância, com machado), Warlord (tanque, com escudo e exclusivamente masculino), Valkyrie (longa distância, lanceira e exclusivamente feminina) e Berserker (curta distância). Por fim, os samurais contam com Kensei (espadachim de média distância), Orochi (espadachim leve de contra-ataques), Shugoki (tanque e exclusivamente masculino) e Nobushi (lanceira e exclusivamente feminina).

Os diferentes personagens exigem do jogador uma boa dose de estratégia. Lanceiros matam rapidamente adversários à distância, mas demoram a bloquear com efetividade. Lutadores mais equilibrados aguentam pancadas, mas possuem poucos diferenciais. Tanques tomam muita porrada, mas podem cair facilmente de penhascos e em armadilhas.

O jogo fica especialmente viciante no modo online.

Na internet, vale treinar e melhorar sempre

O modo de jogo em duelos, tanto de 1x1 quanto em duplas, valem para você aperfeiçoar seus personagens, conseguir dinheiro e equipamentos melhores. Se estiver muito difícil para encarar jogadores, não tem problema. Jogue contra bots. Eles garantem que você vá aprender os principais comandos do game.

No modo de conquista de territórios, você deve utilizar a estratégia do seu personagem específico em grupos de quatro pessoas mais NPCs no cenário. Dai vale pegar adversários pelas costas, fazer valer habilidades que façam as tropas avançarem e tentar encurralar inimigos. E se você for acuado, recue e mude a estratégia.

O problema deste jogo: O "pay to win"

Algo recorrente em jogos online com elementos de RPG, este título de ação e luta da Ubisoft não foge a regra. O maior problema de desbalança entre os jogadores são aqueles que gastam um pouco de dinheiro para terem equipamentos melhores e os que conseguem updates na raça e na coragem. Se você não souber agir de maneira rápida nos bloqueios e nos ataques, pode perder várias partidas em sequência.

Uma boa expansão: Shadow & Might

Lançada em maio, o DLC Shadow & Might traz os novos personagens Shinobi (do grupo dos samurais, curta e longa distância, ninja) e Centurion (inspirado nos guerreiros romanos, tanque e do grupo dos cavaleiros). Os dois ampliam o leque já diverso de lutadores e apontam para mais selecionáveis no futuro da série, equilibrando mais o gameplay.

Muito além do seu modo história que é tutorial, For Honor é um jogo grandioso se considerar que cada vitória e derrota dos players simboliza a guerra em tempo real entre samurais, cavaleiros e vikings. 

Por isso, é um título que atrai tanto jogadores casuais que gostam da temática quando quem estiver afim de conseguir os diversos recursos disponíveis dentro do game.

Notas

  • Gráficos: 9
  • Jogabilidade: 9
  • Som: 9
  • Replay: 9,5
  • Nota final: 9,12

Confira os vídeos das campanhas completas singleplayer do Drops de Jogos e dos lutadores Shinobi e  Centurion.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube 

Última modificação emQuinta, 01 Junho 2017 19:01
Pedro Zambarda

É jornalista, escritor e comunicador. Formado em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e em Filosofia pela FFLCH-USP. É editor-chefe do Drops de Jogos e editor do projeto Geração Gamer. Escreve sobre games, tecnologia, política, negócios, economia e sociedade. Email: dropsdejogos@gmail.com ou pedrozambarda@dropsdejogos.com.br.

Website.: www.geracaogamer.com

Assine nossa Newsletter

Nome:
Email:

Log in

Cadastre-se